23 de outubro de 2008



fio morto do que já foi um dia.


Sempre me surpreendo com a sincronicidade das coisas...
Vi um filme chamado "Mirrors", espelhos.
Quem morria passava a ver tudo invertido, como se tivesse vendo por um espelho.
E ai eu sonho não com as coisas que me deixaram impressionada ou apavorada no filme (eu morro de medo de filme de terror/suspense), mas com algo que já foi, tão macio, tão leve, tão gostoso... um sonho tão maravilhoso que me transportou para alguns anos atrás, e eu acordei com cheirinho de férias e música nos ouvidos.
Mas foram só alguns instantes, efêmeros. O suficiente pra eu sentir mais forte que o que ficou foram células mortas, sem cor nem vida, nem esperança, de uma vida que não vai renascer.
Eu que pensei que nunca fosse me sentir estéril, me pego exatamente com essa sensação...
Ok. Way to much information for one day.

3 comentários:

carolline tinôco disse...

já pensei em fazer muitas coisas com esses fios de cabelo que se vão. tenho tirado umas fotos com espelho. e sim, a gente pensa que a sensação foi embora, mas tem horas que volta. estéril é uma boa definição.

um beijo.
e cheiros que te tragam vida, flor!
e um abraço derretido, como o calor que tem feito nessas tardes.

umanoidemanme disse...

¿La foto es tuya? Me gusta.

Soy srta_petardita en postcrossing.

Un abrazo.

umanoidemanme disse...

Vaya, pues me gusta el resultado.